Flutuação

Posted on 20. dez, 2016 by Fábio Bioca in Poesia

lacrime

Parece que existem pêndulos na nossa alma que, com algum evento invisível, oscilam e balançam.
Quando o tremor é maior, essa agitação repercute no que conhecemos por paz ou por “tudo bem”. Então, nossa estrutura e tudo que ela acondiciona, vibra, gera calor, fermentação e torpor.
Poderíamos chamar de ansiedade, mas prefiro considerar que é muito mais complexo que isso.
É o que nos faz pensar em abandonar este plano (mesmo que por pouco tempo), para não balançarmos tanto e organizarmos a compostagem que há sempre dentro de nós.
Nosso lixo. Mas, tudo que temos.
Talvez, a única coisa nossa mesmo.
Que ao nos impelir ao chão, nos faz querer flutuar em paz.

Ilustração: “Lacrime”, instalação do designer alemão Ingo Maurer.

Comments are closed.