Esta coisa chamada saudade

Posted on 23. jul, 2019 by Fábio Bioca in Poesia

saudade

A saudade é um soluço solto que nunca chega à garganta.
A saudade é uma fome aguda que enche a cabeça e desnutre a alma.
A saudade é a angústia do não-reencontro dos olhos no espelho.
A saudade é o pavor de um lapso na memória que apague o que resta do paraíso.
A saudade é o choro de criança que se perdeu entre as pernas da multidão.
A saudade é um arrepio, nem de frio, nem de calor… Só de sentir-se sem.
A saudade é da cor do sol, quando fechados os olhos que há pouco fitavam a estrela.
A saudade tem cheiro de asfalto molhado, do café torrado e da brasa apagando.
A saudade sou eu, algo que deu errado. A saudade inexiste sequer, dor estranha…
A saudade é inventada por alguém que sonhou ser feliz a tal ponto
Que ao acordar sozinho e incompleto entre as sequelas da falta de tudo,
Criou outro universo, fantástico e paralelo que coubesse entre o vazio do estômago e o coração doído.

Comments are closed.